Articulações Políticas

Parcerias

Notícias

Coletivo Mulher Vida marca presença no 16º Encontro do Fórum de Gestoras

DSC_0303.jpg A cientista social e coordenadora do Coletivo Mulher Vida, Adriana Duarte participou na manhã de quarta-feira (29 out), no SEST/SENAT do Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife, do 16º Encontro do Fórum de Gestoras Municipal para as Mulheres da RMR, promovido pela Secretaria da Mulher de Pernambuco e prefeitura Municipal do Cabo de Santo Agostinho.

Na ocasião Adriana compõe a mesa juntamente com Jéssica Barbosa e Diana Dultra, representantes da ActionAid Brasil, abordando o tema “Cidade Segura para as Mulheres, com ênfase no Tráfico de Mulheres.”
No dia 23 de setembro (2014), o CMV deflagrou mais uma Campanha de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, com o propósito de trazer o assunto aos espaços de debate e de mobilizar a sociedade contra esse problema mundial que tem crescido a cada ano.

Adriana chamou atenção para um desempenho maior do poder público e da sociedade civil organizada: “Foram identificadas pela Polícia Rodoviária Federal dentro do programa Anjos da Guarda, 371 rotas de tráfico de pessoas em Pernambuco.”

No Brasil, os números são preocupantes. Em relatório elaborado pela Secretaria Nacional de Justiça do Ministério da Justiça, em parceria com o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes, das 475 vítimas identificadas entre 2005 e 2011 pelo Ministério das Relações Exteriores em seus consulados e embaixadas, 337 sofreram exploração sexual e 135 foram submetidas a trabalho escravo. Ainda segundo o documento, no mesmo período a Polícia Federal registrou 157 inquéritos por tráfico internacional de pessoas para fins de exploração sexual, enquanto o Poder Judiciário teve 91 processos distribuídos, de acordo com o Conselho Nacional de Justiça.

Adriana falou também das dificuldades encontrada em coibir esse tipo de crime: “A maior dificuldade é que o Tráfico de Pessoas é um crime econômico, que movimenta muito dinheiro e não pode ser combatido apenas com unidades policiais.”

O Coletivo Mulher Vida, é referência em Pernambuco e também reconhecida nacional e internacionalmente por seu trabalho na disseminação e enfrentamento desse crime contra a humanidade. É pioneiro na realização de pesquisas sobre Turismo Sexual, Tráfico de Pessoas, bem como no atendimento às vítimas. Seus estudos resultaram na produção de dois livros - intitulados “Ich Liêbe Dich (Eu te amo, em alemão): O que a gente não faz para realizar um sonho?” e “Turismo Sexual, Tráfico e Imigração: O que nós temos a ver com isso?”, que relatam a violência sofrida por mulheres vítimas de todo tipo de violência ocasionada pelo tráfico de pessoas.

Outras notícias